Home / Pr. Manoel Antônio / TROCANDO OS VALORES ETERNOS PELOS PRAZERES PASSAGEIROS

TROCANDO OS VALORES ETERNOS PELOS PRAZERES PASSAGEIROS

Gn. 25.29-34; Heb. 12.16

Na minha infância, por volta dos anos 70, havia uma brincadeira num programa de televisão onde uma criança era colocada dentro de uma cabine e ali ficava ouvindo música através de um fone de ouvido. Do lado de fora da cabine havia muitos brinquedos. Mas havia também coisas sem valor algum, como uma lâmpada queimada, um lata enferrujada, dentre outras.O apresentador perguntava a criança, que não estava vendo o objeto que este segurava nas mãos, se ela queria trocar ou não este objeto por outro que ela já havia escolhido anteriormente. Mesmo sem ver, ela respondia com um sim ou com um não. E a gente se divertia com a brincadeira da lâmpada e da troca. Nem sempre a criança saía com um brinquedo legal. Às vezes, durante a brincadeira, ela até conseguia um brinquedo novo, caro, mas depois o trocava por alguma coisa sem valor, sem sentido. Na vida real a gente também vê pessoas fazendo trocas no seu dia a dia. E algumas dessas trocas, infelizmente, representam perdas e danos irreparáveis, com os quais a pessoa terá que conviver por um longo período.

Esaú, personagem de que trata o texto acima, representa bem este tipo de pessoa. Em certa ocasião resolveu trocar algo de extremo valor em sua vida por um prazer passageiro. As consequências de sua troca foram, não apenas graves, como se estenderam por gerações. Nesta meditação quero refletir com você acerca do cuidado que devemos ter no que diz respeito à possíveis trocas com as quais nos deparamos.

Ao contrário do que muitos leitores da Bíblia pensam, Esaú não tinha um passado de vida entregue à práticas condenadas pela época. Ele possuía, inclusive, bons exemplos de seus pais e avós. Era neto do patriarca Abraão, e também chamado pelo Senhor de ‘o pai da fé’. Era filho do filho da promessa, Isaque. O nascimento de Esaú também foi resultado de uma intervenção divina, pois sua mãe era uma mulher estéril. Portanto, sua vida já era o resultado de um milagre específico do Senhor! As Escrituras, portanto, não relatam que Esaú tivesse vivido até então uma vida de promiscuidade, com hábitos e atitudes reprováveis do ponto de vista moral e espiritual. Porém, Esaú revelou algumas falhas em seu caráter que culminaram em uma atitude repentina, impensada e, portanto, precipitada. Ele negociou com seu irmão a bênção de sua primogenitura, que era um direito à porção dobrada na herança, dentre outros privilégios que acompanhavam o filho que nascesse primeiro dentro da família judia. Esta sua atitude nos aponta pelo menos três marcas em seu caráter que o tornaram reprovável diante de Deus: Esaú foi imediatista, ou seja, agiu por impulso, agiu precipitadamente, sem refletir previamente no que iria fazer. Segundo, ele foi Impuro do ponto de vista espiritual, porque seus olhos preferiram em um momento específico as coisas materiais, em detrimento do que era espiritual. E por último, ele foi considerado profano, porque usou e tratou as coisas sagradas, sua primogenitura, como algo sem valor algum. Tratou a bênção de Deus para sua vida como algo desprezível e descartável. Desta forma Esaú também mostrou falta de profundidade de caráter. Demonstrou não ter temor a Deus. Por esta razão o escritor aos Hebreus irá chamá-lo de profano, ou seja, alguém que trata com desdém as coisas espirituais. Uma pessoa que age irreverentemente para com as coisas sagradas.

A Bíblia também nos mostra outros exemplos de pessoas que trocaram coisas de grande valor por outras sem nenhum sentido. Trocaram a santidade pela pecaminosidade. Negociaram valores e princípios eternos para ficarem com o que é passageiro. Trocaram todo um projeto de vida por alguns momentos de aventura e de prazer. Podemos destacar Davi, que por um momento de prazer com a esposa de seu soldado, trocou a sua honra e os planos de Deus para sua vida (II Sm. 11). Convém citar ainda um dos discípulos que andou temporariamente com o Senhor, chamado Judas (Mt. 26:14-25). Ele trocou a Jesus por trinta moedas de prata; Paulo fala acerca de Demas, dizendo que este deixou o apóstolo desamparado porque amou mais o presente século (II Tm. 2:10). Como consequência da troca feita por Esaú a bíblia nos diz que ele não mais teve oportunidade para reconquistar a sua primogenitura, ainda que a tivesse buscado com lágrimas.

Em nossos dias a experiência de Esaú se repete entre nós. Vemos pessoas que agem de forma imediatista, ou seja, são pessoas do momento, do aqui e agora. Não medem as consequências futuras que seus atos no presente possam produzir. Agem de forma irrefletida. Há aquelas que, semelhantes a Esaú, recusam os elevados projetos de Deus para suas vidas para viverem de acordo com as escolhas erradas pelas quais optaram. Desperdiçam os valores eternos do reino de Deus pelos prazeres momentâneos que o pecado lhes oferece. A Bíblia chama de “profana” este tipo de pessoa. Como exemplo podemos especificar aquela pessoa que deixa os caminhos do Senhor pela sedução temporária oferecida pelo mundo. É o jovem que troca sua saúde, seus estudos, sua família e todo um projeto de vida pelas drogas. É aquele que troca seu emprego e sua reputação pelo álcool. Também pode ser o cônjuge que troca a família por momentos de aventura extra-conjugal.

Concluindo, DEUS AMA VOCÊ! OS PROJETOS QUE ELE TEM PARA SUA VIDA NÃO SÃO TEMPORAIS. NÃO SÃO APENAS PARA O AQUI E O AGORA. SÃO PARA TODA A SUA EXISTÊNCIA E PARA TODA A ETERNIDADE. Por isso, hoje a Palavra está advertindo você refletir cuidadosamente: NÃO SEJAIS PROFANO COMO ESAÚ, QUE POR UM PRATO DE LENTILHAS, TROCOU A BÊNÇÃO DA PRIMOGENITURA.

Tenha um dia abençoado pelo Senhor!

Pr. Manoel Antonio
Pastor da Segunda Igreja Congregacional de Campina Grande-PB
Wattsapp 83 98700-0490

(Se você foi abençoado com esta palavra, compartilhe, e não altere a autoria)

Veja Também

OLHANDO NA DIREÇÃO CERTA

“Olhando para Jesus, Autor e Consumador da fé…” Hebreus 12:2 Não existe nada mais expressivo ...