Home / Notícias / Cristãos paquistaneses protestam contra a demolição de quatro igrejas

Cristãos paquistaneses protestam contra a demolição de quatro igrejas

pakistan-church-attack-cc-563x353Cristãos do Paquistão estão protestando contra a demolição de quatro igrejas em Lahore, no nordeste do país. A justificativa para as demolições seria a construção de uma linha férrea.

De acordo com o portal Christian Today, cristãos realizaram protestos no último dia 3, em frente à Suprema Corte de Lahore. Eles portavam cartazes e gritavam palavras de ordem, como “não cederemos um centímetro sequer de nossos lugares sagrados” e “queremos os nossos direitos”.

As quatro igrejas escolhidas para demolição são a Cathedral Church, Naulakha Church, St. Andrew’s Church e a Bohar Wala Church.

O Paquistão é um dos países em que mais há violação da liberdade religiosa, de acordo com a Comissão Norte-Americana pela Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF, na sigla em inglês). Alguns exemplos trágicos dessa perseguição foram o atentato suicida que matou 72 pessoas no domingo de páscoa, bem como o massacre de 134 crianças em Peshawar há dois anos.

Nasir Saeed, diretor do CLAAS no Reino Unido, comentou a demolição das igrejas e a situação dos cristãos em Lahore. “Os cristãos que ainda sofrem por causa do ataque no domingo de páscoa e ainda tentam lidar com esse trauma têm, agora, que encarar a demolição de quatro igrejas históricas em Lahore, a província onde os cristãos sofrem mais [no Paquistão]”, disse Saeed. “O Governo não deveria brincar com os sentimentos religiosos dos cristãos e deveria evitar mais constrangimentos ao pressionar a minoria cristã no Paquistão.”

O Paquistão ocupa a 6ª colocação no ranking de países que mais perseguem os cristãos, segundo a Portas Abertas.

Por Mariana Gouveia

Foto: Christian Today

Veja Também

Igreja Episcopal da Escócia aprova casamento gay

A Igreja Episcopal da Escócia decidiu na última semana, reconhecer e oficializar casamentos entre pessoas ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.