Home / Saúde / 11 coisas que seu médico não vai lhe falar sobre a gravidez

11 coisas que seu médico não vai lhe falar sobre a gravidez

Ser mãe é uma experiência única na vida. Mesmo que ela ocorra mais de uma vez, nunca é igual. Cada gravidez traz suas expectativas, dúvidas, medos e anseios.

Claro que, após já ter filhos, ganhamos um pouco de experiência, mesmo assim comparamos a gravidez e ainda temos dúvidas, assim como as mães de primeira viagem têm dúvidas e que às vezes tem receio de perguntar.

Aqui estão algumas coisas que seu médico não lhe falará se você não perguntar:

  • 1. Você pode saber o sexo do bebê com 8 semanas

    Hoje, para a alegria dos pais, não é mais preciso esperar até a 17ª semana para fazer a ultrassonografia com este objetivo. Com apenas um pouquinho de sangue da mamãe, com oito semanas de gestação, já é possível saber o sexo do bebê. Com uma pequena amostra do sangue da mãe pode se encontrar poucas quantidades de DNA do feto. A presença do cromossomo “Y” indica que é um menino e a ausência dele, uma menina. No caso de gêmeos, se forem idênticos, univitelinos, o resultado é válido para os dois fetos. Em gêmeos fraternos, bivitelinos, o resultado “Y”, significa que ao menos um dos gêmeos será menino. Se o resultado der ausência de cromossomo “Y”, pode-se dizer que ambas são meninas. O teste pode ser feito nos maiores hospitais e laboratórios do Brasil e o resultado sai em aproximadamente 5 dias úteis. O preço é salgado, em torno de R$300,00 a R$450,00, mas parece valer o alívio da curiosidade dos pais.

  • 2. E o sushi?

    Bem, minha obstetra nunca me proibiu. O principal medo são as doenças que as comidas cruas podem conter. Eu comi tudo o que eu quis durante toda a gestação. Simplesmente tendo cuidado e sabendo a procedência de todo o alimento. Eu fui até a cozinha dos estabelecimentos e muitas vezes vi minhas refeições serem preparadas. Não precisa de pânico! Mas precisamos pagar o preço do conforto… Ou seja, nada de restaurantes de beira de estrada!

  • 3. O ultrassom morfológico serve para saber se o bebê tem alguma anomalia

    O ultrassom morfológico é um exame de rotina feito normalmente entre 18 e 20 semanas de gravidez e que serve para avaliar o desenvolvimento do bebê com bastante detalhe, incluindo os órgãos internos.

  • 4. A translucência nucal (ou TN)

    Também realizada durante o ultrassom morfológico; é uma medida realizada na região da nuca do feto. Esta medida ajuda a estimar o risco do feto ter algumas doenças, entre elas a Síndrome de Down e as cardiopatias congênitas. Fetos com malformações ou doenças genéticas possuem uma tendência a acumular líquido na região da nuca.

  • 5. Quando meu bebê vai mexer?

    Você sentirá fisgadas a partir do 4 mês. Essas “fisgadas” nada mais são do que seu bebê se mexendo. Ele ainda não ocupa muito espaço, então, quando ele se mexe, você não sente exatamente a mexida, sente algumas fisgadas (são basicamente umas tremidinhas na barriga).

  • 6. Quando o barrigão crescer

    O desenvolvimento do bebê fica cada dia mais evidente. Sempre digo que a ficha começa a cair quando o barrigão está aparecendo. Durante o 8º mês, geralmente o bebê encaixa. Aí dói tudo. Dói para andar, para sentar, para deitar e levantar. Isso porque os ossos da bacia estão se abrindo para se preparar para a hora do parto.

  • 7. Você pode perder o líquido amniótico e nem perceber

    Isso mesmo! Dizem que isso é quase impossível, mas eu sou a prova viva que pode acontecer. Esse líquido tem cheiro de água sanitária. Aí você me pergunta: mas como você não percebe que perdeu se tem um cheiro tão peculiar e forte? Pois bem! Você pode perdê-lo enquanto faz xixi ou toma banho. Assim, não irá perceber. Por isso, fazer os ultrassons nos períodos certos e indicados pelo médico é fundamental para o acompanhamento. O médico poderá ver se você está perdendo líquido.

  • 8. E o sexo?

    Ouvi vários mitos sobre não poder ter relações sexuais quando já se está no fim da gravidez porque isso afeta o bebê ou “invade” o espaço dele. Mito! Seja feliz durante toda a gestação, momentos de prazer liberam endorfina e serotonina. Isso também faz bem ao bebê, afinal, ele sente nossa dores, angústias, medos e sensações de bem-estar.

  • 9. Atividade física regular

    É muito importante fazer atividade física sempre, no entanto, durante a gestação a atividade física promove um bem-estar imenso. Se agora você já sabe que sentirá dores durante a gestação, posso garantir que elas diminuem com a prática de atividades físicas. Caminhadas ao ar livre são perfeitas. Não precisa ser aquela coisa de andar durante uma hora todos os dias. Faça algo que lhe ofereça prazer e boas lembranças. Há uma bola de pilates que você pode sentar e fazer alguns exercícios para ajudar também na hora do parto.

  • 10. Converse com o barrigão

    Sim! Ele(a) a ouve. O bebê nos escuta, ouve nossa voz e nosso batimento cardíaco. Se você cantar sempre a mesma música para o bebê, por exemplo, quando ele nascer reconhecerá a música. Não acredita? Faça o teste! É surpreendente.

  • 11. Você não será menos mãe se optar pela cesariana

    Hoje em dia já vi e li sobre muitos protestos que a mulher deve ter a opção do parto que gostaria. Eu particularmente quis muito tentar parto normal, no entanto, não consegui. Como falei no item acima, eu perdi a maioria do meu líquido amniótico sem perceber, então, quando fui fazer meu ultrassom de 38 semanas, estava com pouco líquido. Três dias depois não senti o bebê mexer, quando cheguei ao hospital eu estava quase sem líquido, então… Parti para cesárea de emergência.

  • Agora ele(a) nasceu… As dúvidas são outras, nossa! Elas não param de chegar!

    Seja como for ou o que for, você será uma ótima mãe. O instinto materno brota em nós quando vemos aquelas duas listras no teste de farmácia. É naquele momento que nossas vidas se modificam.

    Com certeza muitas dúvidas irão surgir. Não tenha receio de parecer boba, pergunte. Mais vale uma pergunta “boba” esclarecida do que uma reação em cadeia de erros por algo que poderíamos ter evitado.

    Mais vale prevenir do que remediar.

    Depois disso, só me resta dizer… Bem-vinda a melhor, mais estressante e intensa fase de sua vida!

Fonte: Família

Veja Também

Alimentação na gravidez: O que você não deve ingerir

A gravidez, embora não seja doença, exige alguns cuidados da futura mamãe com a sua ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.